Triste Fim de Policarpo Quaresma

Oi gente! Desculpe a demora em postar, mas ocorreram uns imprevistos! Mas, vamos ao livro que tive que reler para a faculdade. Mais um clássico e com certeza esse mexe com os nossos sentimentos mais escondidos, como por exemplo: a pátria.

Sinopse:
Policarpo Quaresma é um major cheio de idéias nacionalistas que trabalha como funcionário público no início da República. Ao defender que o tupi se torne a língua nacional, é ridicularizado e depois internado como louco. Quando finalmente é solto, vai morar no campo e resolve transformar seu sítio em sede da reforma agrária. Apóia o marechal Floriano na Revolta da Armada mas é ignorado, acabando preso e fuzilado. Uma sátira impiedosa do Brasil burocrático, atual e reconhecível apesar de referir-se a um momento histórico marcante.

Minha opinião:


Policarpo é um Major que luta por seus direitos e principalmente pelo regionalismo e as origens do povo brasileiro. Por ser um homem previsível, surpreendeu a todos, quando teve a ideia de implantar o Tupi Guarani como língua oficial do Brasil, pois essa língua sim é daqui. Um dia começou a chorar logo que encontrou seu amigo, Ricardo coração dos outros (um cantor e compositor de modinha, mal visto pela sociedade, pois naquela época ter um violão e cantar era inapropriado, coisa de gente "vagabunda"), Policarpo desatou a chorar, Ricardo se preocupa, mas logo Policarpo diz que está tudo bem, era apenas os comprimentos de um Tupi. Imaginem só, se isso realmente fosse implantado aqui no Brasil, ao invés de darmos Oi, iríamos sair corando.....
Exatamente por essas peripécies Policarpo, foi taxado de Louco e Xenófobo (fobia por coisas que venham de fora do seu território). Reler Policarpo foi maravilhoso, principalmente na época dos protestos. Em sala de aula, foi até comentado que Policarpo iria gostar de ver essa "mudança" no Brasil.
Esse livro é um verdadeiro clássico, que nos mostra um pouco da nossa história, pois há elementos da Revolta da Armada e trechos verídicos.
Ao longo da leitura, vamos nos deparando com outro Policarpo, não é mais previsível, pelo contrário, está tomado pela sua vontade e luta pelo seus direitos. Questionamos se Policarpo é ou não Bipolar, mas é somente hipóteses. Conforme a leitura, Policarpo acaba em um hospício, é tratado definitivamente como louco e traidor da pátria (Algo que ele jamais foi).

É um livro marcante, gostoso de ler. Quem quer ler um clássico recomendo muito este livro, principalmente por não ter aquele linguajar carregado, é uma leitura simples, forte e como disse anteriormente, marcante.


Na faculdade, lemos o livro e vimos o filme. Como de costume, o livro é muito melhor, além disso, há fatos que não constam no livro. Vale a pena ver o filme por curiosidade, não criem expectativas, pois o filme é BEM RAZOÁVEL (e eu DETESTO quando não segue fielmente o livro)

No youtube tem todo o filme, mas não sei se recomendaria....


3 comentários:

  1. Oi Ane!
    Eu gosto dos clássicos, mas as vezes são difíceis de ler né.
    Quando eu estava no ensino médio eu li este, mas acho que preciso reler.
    Beijos*
    http://diariodeincentivoaleitura.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
  2. já li a muito tempo... preciso reler...
    http://torporniilista.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
  3. Adoro os clássicos da nossa literatura. Já li outros livros do Lima Barreto, esse ainda não. Que bom que gostou! Tenho ele aqui, pretendo ler em breve! ;)

    Beijos, Entre Aspas

    ResponderExcluir